terça-feira, 16 de novembro de 2010

CAÇADORA DE BEIJOS

Amo viajar, conhecer novas culturas. Como sou profundamente observadora, nada me escapa. Gosto de ver a vida, dos diferentes de mim, até por achar que, no fundo, todos somos muito iguais, pois sempre buscamos ser felizes, independente da cultura que nascemos. Porém a minha felicidade pode ser diferente do que seria para um esquimó.
Não sou consumista, aliás, sou péssima compradora. Limito-me a ver o artesanato local, algumas lojas bacanas e a comprar perfumes no Duty free.
Quero ver gente, paisagens, conversar, sentir o charme local, comer coisas diferentes, mesmo quebrando a cara...rs
Adoro me perder em vielas, becos, pois sempre descubro algo novo, inusitado.
Muitas vezes, sento em um banco de jardim, outras num bistrôzinho escondido; já fiquei um bom tempo na escadaria da Praça de Espanha, em Roma, sentido as pessoas, observando seus hábitos, modo de falar, suas vidas...
Num inverno infernal da fria Nova York, comecei a perceber que todos os passantes que estavam juntos, nunca demonstravam nenhum ato de carinho. Aí virou obsessão, queria flagrar um beijo, um simples beijo.
Fiquei uma semana na cidade, fui a vários lugares, andei pelas ruas, no Central Parque, grandes lojas, na Estatua da Liberdade, restaurantes, enfim todo roteiro turístico, e não turístico, já que era a primeira vez que meu filho ia à cidade, e eu queria mostrá-lo tudo.
Não consegui “pegar” nenhum beijo, e o pior, nem mãos dadas. Percebi que mesmos os casais, com filhos, pouco se tocavam, e nem as crianças eram beijadas em público.
Sentia que algumas pessoas se namoravam, pelo modo como conversavam, mas mesmo essas não se tocavam, nem se abraçavam. Não consegui uma fagulha de desejo, de sensualidade explícita, de algum toque mais ousado. Logo eu, que falo com as mãos, e vivo tocando meus afetos.
Depois, embarquei para a Disney, continuando meu roteiro infanto/ juvenil, e lá continuei caçadora de beijos, pois era assim que eu me sentia.
Nova desilusão, pois nada de conseguir flagrar um ato de carinho rasgado, um olhar mais fundo, uma mão provocante de uma pessoa apaixonada e cheia de desejos... nada.
Claro que, em todos os Estados Unidos, alguns se beijaram, outros se abraçaram, mas diante dos meus olhos, isso não aconteceu.
Cada cultura tem sua forma de demonstrar amor, afeto, carinho, desejo. Compreendo isso e respeito, porém, para uma lusa/galega/carioca, não abraçar, beijar, demonstrar carinho explícito, é quase uma heresia.
Acho impossível, estar amando, seja namorado, marido, filhos, pais, amigos, sem dar um abraço apertado, uma mexida nos cabelos, um carinho no rosto, um beijo gostoso, na pessoa amada, mas cultura é cultura. Cada um na sua, mas no fundo quem não gosta de carinho inesperado, um sorriso cativante, abraço sem esperar, e até aquela declaração louca, para passantes desconhecidos que se ama aquela pessoa, que está ao nosso lado... rsrsr
Enfim, salve a cultura latina, que consegue demonstrar seus afetos sem maiores pudores.
Bom é beijar sem culpa, andar de mãos dadas, seja em que tempo for, abraçar apertado, e sentir que viver nossos sentimentos com liberdade, ainda é a melhor opção.

10 comentários:

Wolber Campos disse...

oi Nádia!! Tudo bem?

Que texto bacana este! Incrível, não sabia disso. Por isso os brasileiros são considerados um povo tão amável, alegre, emocionante.

Graças a Deus, porque, como você, eu não conseguiria andar do lado da mulher amada sem, ao menos, dar as mãos e fazer um carinho.

E viva o Brasil! :)

Beijos, minha amiga!

Francisco disse...

Outro dia, estava num restaurante e observei um casal jovem que se beijava apaixonadamente, ignorando completamente quem estava por perto. Achei aquilo lindo, mesmo eu sendo um pouco mais discreto...rss
Demonstrar afeto em público, é uma das melhores características do povo brasileiro, diferente de outros povos que não só agem com mais frieza, mas também com falso moralismo.
Já que vc gosta, aceite meu beijo amigo e com muito afeto...!
SMAAACKK...!!! rss

Sandra disse...

Temos uma amiga em comum..
Então venha ver.
Lhe convido para ver quem está comigo aqui.
É um prazer te receber neste cantinho. Venha dar uma olhadinha. Tenho certeza que vai gostar.
http://sandraandradeendy.blogspot.com/
Carinhosamente, vou te esperar. Aqui grandes amigos se encontram e se revelam. Carinhosamente,
Sandra.

Amigos são flores plantadas com muito carinho.

Tatiana disse...

Um beijo, um abraço, um afago... É sempre tão bom dar e receber!
Assim como você acho difícil viver sem essas demonstrações de afeto!

E por falar nisso... Deixo um beijo carinhoso para você!

daniel disse...

Olá, Nádia!
Faço uma primeira visita ao teu blog, em retribuição à tua e à lisonja do teu comentário. O tempo curto me permitiu ler apenas este post, mas posso assinar sem reservas o que escreveste. Costumam dizer que nós aqui do Sul somos pouco afetuosos - mas isso não é verdade (e a própria Martha Medeiros está aí para defender a gauchada), eu tive a experiência de morar no Rio e percebi que as diferenças são apenas de convenções, e todos temos (como os sotaques, cada um com seus sabor regional) nossa própria versão da efusividade brasileira - esta sim, patrimônio cultural da nação.
Permita-me ir embora, mas volto para olhar com calma teu blog (tem um visual excelente... sou blogueiro iniciante e ainda espero aprender muito).
Um abraço de Santa Maria, RS
Arlei - http://polifonias.wordpress.com

James disse...

Olá Nadia!!!
Encantado em te ter visitado.
Parabéns pelo blog.
beijo

A.S. disse...

Beijar... é concentrar na boca todas as sensações!... Um doce fascinio, é no beijo que tudo começa...:)

Deixo-te um beijo imenso pela grata surpresa de exibires uma imagem da minha Cidade! A MUI NOBRE LEAL E SEMPRE INVICTA CIDADE DO PORTO!...

Beijosss
AL

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Nadia
que bom te conhecer. me deu uma vontade de viajar com vc..... tbm gosto de me perder, mas gostaria de me perder mais, e acompanhada....hehehe.

Gostei muito daqui, e realmente, pouco de vê de beijos e abraços nas ruas de NY. Mas estive lá na Maratona e na parada de hellowin...e vi muita gente descontraída se pegando beijando...mas no dia-a-dia, não rola mesmo. Mas acho que é assim nas cidades..... pessoas ocupadas, trabalhando, agitadas.... dia de festa é diferente.
Mas é linda a ideia de ser uma caçadora de beijos

A.S. disse...

Nádia,

Vim reler-te, rever-te... e deixar um beijo!

AL

Dayse Sene disse...

Não conseguiria viver em nenhum lugar do mundo, onde essa demonstração de carinho, afeto, beijos principalmente, não fosse visto, sentindo.
Sou extremamente romântica e adoro toques...adoro afagos. Graças a Deus moramos em um país, onde amar é livre.
Pois vemos a cada passo, por onde andamos, seja um lugar mais evoluído ou não, as pessoas, são amáveis e carinhosas. Isso é muito bom.
Lindo seu texto...e observei, que você também gosta das coisas simples, parece-me que aprende muito com elas não?
Uma linda noite para você, cheia de afagos, carinhos e beijos do seu amado...por que aqui podemos.
Abraços meus para você.